terça-feira, 25 de julho de 2017

Filmes | Spotlight + Get Out


 Spotlight (policial, drama)  ⭐⭐⭐⭐⭐



➜ Após a chegada do novo chefe na impressa, os jornalistas têm a tarefa de investigar acerca de casos ocorridos sobre abuso de crianças pelos padres. Haverão alguns obstáculos pela frente, mas conseguem chegar a onde querem. Spotlight é um filme verídico, explícito e bastante bom. 




                                             Get Out (mistério) ⭐⭐⭐⭐







➜ Após o namorado, preto, conhecer a família branca da namorada descobre um segredo da mesma, mas quando pensa em fugir já é tarde demais pois ele já está a ser "usado", porém ele consegue dar a volta a situação.

O fim do filme é assim meio "brusco", sem muitas justificações, mas até que gostei do filme. 

segunda-feira, 17 de julho de 2017

"My suicide note"






Please read it!!




foi um amigo meu que escreveu
e apenas achei que estava demasiado
bom para ser apenas mais um texto por aí

terça-feira, 11 de julho de 2017

4º | Quando eu era criança

we heart it



Quando eu era criança fingia beber os iogurtes (deitava fora), para os meus familiares não me chatearem por causa disso.  😬

terça-feira, 4 de julho de 2017

3º | A rapariga no autocarro

we heart it


Estava na última fila do autocarro quando um jovem se veio sentar também na parte de trás. Passado alguns minutos ele remexe na mala e tira um livro e começa a lê-lo. Após uns vinte minutos ele carrega no botão e levanta-se para ir andado para a porta e quando reparei ele tinha deixado cair um papel dobrado no chão, mas já não ia a tempo para o chamar se quer. Eu levantei-o para guardar caso um dia voltasse a ver o jovem e não consegui evitar abrir o papel. Desdobrei-o e a letra era minúscula e  tinha sido escrita exatamente a um ano atrás, a data estava escrita no topo do papel e após isso estava o seguinte:


"Querido João, 

antes de ir embora, antes que o cancro me consuma, quero agradecer-te por algo que nunca te agradeci. A uns anos atrás, espero que te lembres, quando eu própria me afastei das pessoas, quando eu mesma me enfiei num poço sem fundo, tu salvaste-me. Tu não me deixaste sozinha. Pela primeira vez, não tive que pedir por companhia, tu ofereceste logo a tua e eu sei que nunca te disse, mas naquele momento foi como se tivesses mandado uma corda para o poço em que eu estava e em todos os intervalos em que não me deixaste sozinha e deixaste de ir com os teus amigos era como se me puxasses sempre um pouco mais, até que eu cheguei ao cimo do poço. 
Mais uma vez, antes de ir embora, antes que o cancro me consuma, quero dizer-te que nunca percebi porque é que só me contaste que gostavas de mim quando só nos restava muito poucos dias juntos. Era medo? Não querias admitir a uma rapariga que tens sentimentos e que te apaixonas? Tinhas medo que desse errado? E a última pergunta, arrependeste-te?
Última vez, antes de ir embora, antes que o cancro me consuma, quero confessar-te que sempre foste tão imprevisível, fazes coisas que ninguém espera, apareces sem aviso prévio, vais embora sem deixar rasto e voltas quando te apetece, sem receios e cheio de coragem. Do fundo do coração, mereces uma rapariga cheia de amor para te dar, cheia de atenção disponível para ti, cheia de energia e um grande sentido de humor. Aposto que essa anda por aí, talvez perdida, talvez indisponível, mas quando for o momento certo, quando tiver que acontecer, ela vai aparecer e tu vais saber. Talvez já a conheças, talvez não e talvez ainda demore, mas descansa, há sete biliões de pessoas e uma delas está destinada a encontrar-te. Agradecida, 

Luísa"
No fim do papel em letras ainda mais minúsculas que as outras todas, com uma letra diferente estava escrito "Já encontrei e és tu e lá em cima volto a te encontrar". Voltei a dobrar o papel e guardei-o na mochila e quando dei por mim, já estava muito longe de casa.

sexta-feira, 30 de junho de 2017

Junho | Porto Santo e o fim das minhas séries


we heart it


Posso dizer que o mês de junho parece que começou num dia e que acabou no outro. São da mesma opinião? Para mim este mês é mais marcado pelas férias de verão e sabe tão bem dizer isto.
Gostei deste mês por várias razões, como por exemplo, a minha passagem do décimo para o décimo primeiro em ciências, apesar de não ter sido com a média que eu desejava.
Para melhorar, a minha primeira semana de férias foi passada com um grupo de amigos da minha turma numa casa no Porto Santo (falei-vos disso neste post). 

Algo que deixou uma certa marca foi a nova "cara" do blogue e isso faz-me lembrar outro acontecimento que é eu ter aprendido a mexer nos códigos mais básicos, graças à Athena.


Uma coisa mais seca foi eu ter tido tantos encontros/reuniões com as catequistas e os outros colegas devido ao Crisma que irei celebrar no dia 2 de julho (está quase, felizmente!). 




we heart it



 Algo que marcou mesmo, mas mesmo o mês de junho foi o fim de uma série que já acompanhava a anos com o meu pai, que para quem não percebeu pela imagem é Pretty Little Liars. Eu não vou dar spoiler para quem ainda não viu o último episódio, mas a sério, ninguém iria algum dia pensar que A.D. era aquela pessoa. Acho que estou com um género de depressão após série (risos). 


Outras duas séries que acabei de assistir foram 13 Reasons Why e Two Broke Girls, que vos falei respetivamente aqui e aqui


Desculpem, sei que o post já vai um pouco longo, mas tive uma pequena surpresa este mês e queria partilha-la convosco, porque foi romântico e deixou-me feliz. No dia 22, estava em casa e o meu namorado pediu-me para lhe ir abrir a porta e quando lá cheguei ele estava com um ramo muito bonito na mão e com cinco doces em forma de coração, "Um por cada mês que me aturaste", palavras dele. 


Ah e comecei a ter consultas no psicólogo.