quinta-feira, 27 de outubro de 2016

Olá

Olá!
Apetece-me falar convosco. Apetece-me escrever. Sei que nos úlimos tempos não tenho estado muitas vezes por estes lados, mas o secundário deixa-me cansada. Não devia meter as culpas na escola, porque se eu quisesse aranjava tempo, mas aqui a Mariana não é uma rapariga cheia de ideias para posts. Desculpem. Mas só para verem estou a escrever isto através do telemóvel, por isso não estranhem não ter imagem. 
Sinto que apenas estou a enrrolar e a enrrolar e não digo nada de jeito. Mais uma vez, desculpem-me! 

Sabem aqueles momentos em que vos apetece fazer mil e uma coisas e depois tentam fazer tudo ao mesmo tempo mas não sai nada de jeito? Este post é o resultado disso. Quero falar convosco, quero fazer um post decente, mas apetece-me escrever um daqueles textos que não são verídicos, mas acho que se do nada metesse aqui um texto iria ficar estranho e contuso, como a minha vida nos últimos tempos. 

Acho que vou ficar por aqui. Até à próxima! 

sábado, 22 de outubro de 2016

Cartas não lidas #3



Querida alentejana, 

venho um dia atrasada, mas queria te dedicar um post
Ontem, fez dois anos que eu te conheço. Ao longo destes dois anos, a nossa amizade teve um monte de altos e baixos, mas sempre desejei o teu bem. Se eu estivesse contigo daria-te o abraço mais forte do mundo, mas como não posso, espero que percebas pelas minhas palavras que estou muito grata por ter alguém como tu do meu lado. Apesar dos teus defeitos, és uma pessoa extraordinária e não quero que esqueças isso. Obrigada por apesar de tudo, ainda continuares aqui comigo. Adoro-te. Beijinhos, 

da madeirense 

domingo, 16 de outubro de 2016

Cartas não lidas #2



Olá, mãe. 
Ainda existes? Ainda te lembras que eu existo? 
Eu ainda estou aqui, caso te tenhas esquecido. 
Tens uma filha, lembraste? 
Estou a adorar o Secundário, mas não sabes disso. Não sabes nem isso, nem outra coisa qualquer. Fiz amigos novos, mas ainda não me deste a oportunidade de te falar sobre eles. Nem sobre eles, nem sobre outra coisa qualquer. 
Como é que estás? 
Não sei de ti e não sabes de mim. Não sei se estás a dormir ou a trabalhar. Não sei se estás bem ou se estás mal. A única coisa que sei é que eu não sei de ti. Não há registo de chamadas, nem de mensagens. No primeiro dia de outubro mandei-te mensagem; queria fazer webcam e disseste que estavas a trabalhar e que mandarias mensagem quando chegasses a casa. Parece que chegaste a casa uma semana depois e só me perguntaste se eu estava bem. 
Já fez um mês que eu não sei realmente de ti. Espero que estejas bem. 
Cansada, 

Mariana

sábado, 15 de outubro de 2016

Textos soltos #1

we heart it

 "Custa-me tanto, não tens noção". Esta frase repetia-se e repetia-se na minha cabeça enquanto te olhava. "Por favor, larga-lhe da mão! Eu também posso fazer-te feliz, eu também posso fazer-te sorrir". Começaste a correr com o telemóvel dela na mão e ela foi à tua trás, óbvio que ia. "Pára! Não gosto de correr, mas por ti ia a correr até ao fim do mundo. Por favor, não corras!". Ela encurralou-te na esquina da parede e esticavas os braços ao máximo que conseguias. "Eu dou-te o meu telemóvel e tu corres, mas dá-lhe o telemóvel!". Ela começou a fazer-te cócegas e começaste a rir. "E eu a pensar que só rias quando era eu a fazer". A rir dizias, "Toma! Toma!". Eu estava deitada no banco amuada e sentaste-te à minha trás, fazendo de almofada. Ainda amuada, sentei-me e olhei para a esquina e afinal, ainda lá estavas a rir por causa das cócegas. 


Não é verídico | Escrito por mim 



sábado, 8 de outubro de 2016

Quotes #2

we heart it



"Inspira profundamente três vezes. Este é o único momento que te interessa. Não há ontem. Não há amanhã. Só há o presente. Não estás atrasada para nada e não vais perder nada. Estás exatamente onde devias estar. E és exatamente quem devias ser. És absolutamente perfeita. E tudo o que acontecer hoje é exatamente aquilo que deveria acontecer." 

- Sempre a abrir, filme

quarta-feira, 5 de outubro de 2016

September | Fim das férias + Escola




Um pouco tarde, digo-vos que o mês de setembro passou a correr. Porque tudo o que é bom acaba rápido: as últimas semanas de férias e as primeiras semanas de aulas. 
Espero que tenham um ótimo mês de outubro. 

sábado, 1 de outubro de 2016

A rapariga no autocarro #1



 O rapaz agarrou-lhe na mão e deu um beijo na mesma. A rapariga tinha um brilho nos olhos. Eles amavam-se um ao outro. Pousou a mão na perna dela e começou a dar-lhe chapadinhas no joelho. Ela refilou e ele roubou-lhe um beijo. Ela afastou-o e ele puxou-lhe. Ela empurrava-lhe e ele agarrava-lhe. Tentava roubar mais um beijo, mas ela desviava a cara com o tal brilho nos olhos. Ela foi lá e bateu-lhe no ombro e ele rio. Ela vai lá e também ri, porque o riso dele era contagiante. Ela não conseguia ouvi-lo sem se rir. Ela satisfeita pela vingança e ele apaixonado, no último banco do autocarro.