sábado, 15 de outubro de 2016

Eu também posso fazer-te feliz

we heart it

 "Custa-me tanto, não tens noção". Esta frase repetia-se e repetia-se na minha cabeça enquanto te olhava. "Por favor, larga-lhe da mão! Eu também posso fazer-te feliz, eu também posso fazer-te sorrir". Começaste a correr com o telemóvel dela na mão e ela foi à tua trás, óbvio que ia. "Pára! Não gosto de correr, mas por ti ia a correr até ao fim do mundo. Por favor, não corras!". Ela encurralou-te na esquina da parede e esticavas os braços ao máximo que conseguias. "Eu dou-te o meu telemóvel e tu corres, mas dá-lhe o telemóvel!". Ela começou a fazer-te cócegas e começaste a rir. "E eu a pensar que só rias quando era eu a fazer". A rir dizias, "Toma! Toma!". Eu estava deitada no banco amuada e sentaste-te à minha trás, fazendo de almofada. Ainda amuada, sentei-me e olhei para a esquina e afinal, ainda lá estavas a rir por causa das cócegas. 


Não é verídico | Escrito por mim 



6 comentários: