quinta-feira, 29 de junho de 2017

2º | A rapariga no autocarro

we heart it



 Eram 19:14h quando o autocarro chegou. Era inverno e o céu estava escuro.
À minha frente sentou-se uma rapariga à janela com um ramo de flores muito bonito e um pouco depois sentou-se um senhor já de meia idade ao seu lado. Ele ia com uma camisa e por cima, um casaco, umas calças pretas e o cabelo bem penteado. Estava um silêncio peculiar, até que o senhor vira-se para a jovem e comenta "Hoje está frio" e ela dá um leve sorriso e concorda.
 Tenho aquele velho hábito de olhar para as pessoas e tirar as minhas ideias acerca da mesma, desde o estado civil até a que horas acordou, então comecei a olhar para o ramo da rapariga e comecei a pensar no motivo de ela o ter recebido, ou até se era para oferecer alguém. Certo momento uma voz interrompe os meus pensamentos. Era o tal senhor a falar, "Nos primeiros anos em que conheci a minha mulher oferecia-lhe um ramo de flores em todas as ocasiões especiais. Ela gosta muito de flores". Num espaço de três segundos olhei para a mão dele e vi a aliança e dei um pequeno sorriso.

"Hoje faço anos e então o meu namorado ofereceu-me estas rosas", felizmente a rapariga não o deixou sem resposta e ele comenta que são bonitas. 
O senhor passou a viagem a olhar para as flores e isso estava a fazer-me um pouco de confusão, mas acho que percebi o porquê quando após ele ter tocado no botão do stop ter dito "Acho que amanhã vou comprar flores para a minha mulher e leva-las à sua campa". Assim, levanta-se e saí do autocarro.   

2 comentários:

  1. Uau! Gostei muito do texto e não estava nada à espera da parte final! Adoraria ver mais posts deste tipo!
    Beijinhos!

    http://biaentresonhos.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Assim será se a inspiração andar por perto :)

      Eliminar